Minha Senhora de Mim

Minha Senhora de MimMinha Senhora De Mim Comigo Me Desavim Minha Senhora De Mim Sem Ser Dor Ou Ser Cansa O Nem O Corpo Que Disfar O Comigo Me Desavim Minha Senhora De Mim Nunca Dizendo Comigo O Amigo Nos Meus Bra Os Comigo Me Desavim Minha Senhora De Mim Recusando O Que Desfeito No Interior Do Meu Peito Este livro queima por dentro.Saiu h pouco tempo a reedi o pela D Quixote desta obra que tinha sido apreendida pela PIDE quando foi lan ada em 1971 Aconselho vivamente a leitura desta poesia fulminante.Poema sobre o Ci meQue dizer do ci mes
Na poca das 50 Sombras de Grey incr vel imaginar que um livro de poesia, t o subtil e belo na sua evoca o da paix o feminina, possa ter sido censurado, queimado e a sua autora espancada na via p blica Minha Senhora de Mim foi publicado nos in cios dos anos 70 e, numa sociedade patriarcal e machista, abanou muitas mentalidades.Mas, ainda bem que tivemos mulheres corajo
a escrita er tica de Maria Teresa Horta ent o sentida como uma forma intoler vel de apropria o do discurso do prazer, ou da frui o, que era perten a exclusiva do territ rio masculino, n o s dentro de uma ordem social e pol tica discriminat ria, mas tamb m, e sobretudo, no interior de uma ordem simb lica, onde a pr pria linguagem um instrumento de opress o Maria Jo o Reynaud Minha Senhora de Mim , poesia de Maria Teresa Horta que vai ser publicado, no mbito das com