A Opereta dos Vadios

A Opereta dos VadiosFrancisco Moita Flores Possui Uma Vasta Obra Liter Ria E De Fic O Para Teatro, Televis O E Cinema Depois De Dois Romances Hist Ricos A F Ria Das Vinhas E Mataram O Sid Nio , Apresenta, Agora, Uma Farsa Pol Tica De Grande Actualidade, Onde O Humor E A Ironia Conduzem O Leitor Na Estonteante Caminhada De Um Grupo De Velhos Amigos Que Se Junta E Cria Um Partido Pol Tico Para Concorrer S Elei Es.A Ac O Decorre Depois De Portugal Ter Atingido A Bancarrota E Os Seus Governantes E Opositores Se Encontrarem Em Permanente Desvario Neste Cen Rio Singular Que Surge O PUN, Um Jovem Partido Que Aborda As Elei Es Pelo Lado Mais Absurdo E Inesperado, Complicando C Lculos E Sondagens A Opereta Dos Vadios Apresenta Sequ Ncias Narrativas Verdadeiramente Hilariantes E Confirma Francisco Moita Flores Como Uma Das Vozes Liter Rias De Refer Ncia No Panorama Nacional. Amante confessa dos livros de Moita Flores n o poderia deixar de ler o seu novo livro, A Opereta dos Vadios, narrativa bastante diferente dos seus tr s livros anteriores, mais dedicados ao romance hist rico, e que tamb m j li, dois deles com opini o no blogue O Sangue da Honra e Mataram o Sid nio , n o deixou de me impressionar.Fazendo uma s tira pol tica que se vem fazendo actualmente, o autor conseguiu fazer me rir com as personagens que foi criando, algumas delas bastante hilariantes De salientar Telhal, um homem de meia idade que ainda n o terminou o curso, mas que continua com as mesmas ideias partid rias de quando jovem revolucion rio o ex primeiro ministro Felismino, um homem completamente pobre de esp rito que subjugado pela mulher e que apenas quer o poder, nem que para isso convide um charlat o a servir de chamariz para a campanha eleitoral Z Francisco, o eterno anarquista, exilado em Paris que decide subsidiar a campanha dos amigos e fundar um novo partido PUN para salvar o pa s da bancarrota O mais engra ado que tudo o que come a como uma brincadeira de amigos pode tornar se um caso s rio de popularidade e Carlos, um m dico ginecologista com uma vida pacata, normal, pode vir a tornar se o pr ximo primeiro ministro de Portugal, coisa que n o estav
Que seca de livro Confesso que gosto do trabalho de Francisco Moita Flores Vi quase todas as suas s ries, sendo a Ferreirinha um exemplo de grande qualidade a todos os n veis, tanto na representa o, nos cen rios, realiza o e, principalmente, da hist ria que nos narra a vida de uma figura da nossa Hist ria.Posteriormente vi essa qualidade espelhada no excelente A F ria das Vinhas e tamb m apreciei bastante N o H Lugar Para Divorciadas Sendo diferentes, ambas s o hist rias de uma qualidade narrativa ptima e em A F rias das Vinhas , sentimos novamente o ambiente visto em a Ferreirinha.Foi assim com bastante curiosidade e interesse que empreendi a leitura do seu novo livro A Opereta dos Vadios , livro que, segundo a sinopse, se prop e a efectuar uma esp cie de par dia pol tica nacional, criando um cen rio onde o Presidente da Rep blica demite o governo, abrindo assim espa o para novas elei es legislativas.Se por um lado temos um governo corrupto, viciado, cheio de tiques abusivos e com telhados de vidro, por outro, um partido de oposi o que n o desfaz em nada o partido do governo, ou seja, mais do mesmo conforme usual na nossa pra a.Est assim criado o cen rio para o surgimento de um novo partido composto por pessoas desiludidas com o estado do pa s e que s o convidadas por um anarquista milion rio exilado em Paris, que v na Cria o do P.U.N., a oportunidade de dar um safan o no
Interessante e uma mordaz critica sobre o nosso regime pol tico e o papel dos partidos.Ainda mais corajosa e defendida, vindo de algu m com interven o pol tica.Um retrato do que a falta de transpar ncia e os interesses, toldam e muitas vezes impedem o mais bem intencionado para a mudan a Francisco Moita Flores escritor e em algumas partes do livro pinta elogi
Uma bela s tira pol tico social acerca do nosso Portugal V rias vezes o leitor acaba a rir as gargalhadas acerca dos meandros da pol tica, e ao acompanhar o nascimento de um novo partido, denominado PUN, que vai abanar os restantes partidos
Uma s tira pol tica escrita em 2010, que, ainda assim podia ser mais incisiva.Alguns trechos que revelam bem o sistema institu do S tira n o muito distante da realidade pol tica nacional.